domingo, 6 de julho de 2008

Entre verde e azul



Apanhámos um cesto grande de feijão verde que me vou apressar de condicionar para que possamos comê-los no inverno.
No jardim, a Ju. ajudou a descascá-los enquanto a M. devora mais um livro vindo da Biblioteca Municipal João Brandão de Tábua onde, durante a pausa lectiva, elas gostam de se aventurar.
"A Flor Azul" de Ilse Losa é um conjunto de seis histórias, onde através de bonitas metáforas, o jovem leitor descobre como a diferença não é um entrave à amizade, como saber superar os ciúmes e partilhar os amigos.
As ilustrações são da Lisa Couwenbergh numa 7ª edição de 1990, nas Edições Asa.

5 comentários:

méri disse...

Acho que o feijão verde também se pode arranjar (partir aos bocados e tirar o "fio", se o tiver) e congelar. Há muuuuitos anos já fiz isso.

Neftos disse...

como conservas o feijão verde? congelas? e aguenta bem até ao inverno? e mantém o óptimo sabor?

(tantas perguntas...)

alice disse...

Tenho saudades daqueles livros que eu lia quando era mais pequenina. Ficava horas acordada sem sono nenhum a devorar os jardins, os meninos, as meninas. Porque o que me deixava dormir descansada, era saber que podia encontrá-los de novo no dia a seguir. Tenho saudades desses meninos.

maman xuxudidi disse...

Patícia - Congelo pouco, prefiro um outro metodo que é conservar em frascos esterilizados. É muito usual em França e para mim, conserva melhor o sabor!
Um dia, dedico um blog sobre isto... OK?

Neftos disse...

interessante... vou ficar à espera das tuas dicas sobre isso. ;)