segunda-feira, 25 de maio de 2009

Os tecidos



O quilt representa a sinopse dos 4 workshops da Rita.
Descobri que o tecido é o elemento motor no meu trabalho, para além do esquema escolhido.
Descobri que há tecidos com os quais não consigo trabalhar. Uma birra à volta das cores berrantes impediram-me ir mais além na criatividade. Senti-me frustrada.
Retomando os tecidos em amostra, consegui acabar o patchwork a tempo de o alcochoar à maquina.
Não restam dúvidas, o trabalho não é o mesmo e continuo a achar que uma manta alcochoada à mão, tem muito mais encanto.



O "capricho" à volta do tecido foi reflexão de fim-de-semana.
Acho tão importante ver e apalpar o tecido. Há lojas on-line, fiéis na tonalidade dos seus tecidos, outros nem tanto. É por isso que muitas das vezes hesito na compra de alguns.

Gosto de entrar em retrosarias de outros tempos, para encontrar tecidos antigos como a pequena descoberta do Opal (espécie de tecido em algodão). Não sei praticamente nada sobre este tecido, mas adorava saber mais, adorava encontrar mais uns metros!

Gosto também de ver os ventos mudarem e cruzar-me com tecidos como os do Kaffe Fassett a encher o canto de uma prateleira, assim aconteceu em Viseu, na retrosaria do Sr. Manuel.
Uma nova aposta nos tecidos de algodão, "um tiro no escuro" como diz ele.
O Sr. Manuel nunca tinha ouvido falar em patchwork ou quilting. Louvo a iniciativa, porque sem saber, ele devolveu-me um sorriso a este comercio de rua onde já só ia comprar as linhas.



Mavimodas
Rua da Paz, 4
3500-168 Viseu
Tel: 232 437 795

8 comentários:

mariazinha disse...

ola maman...concordo em género e número ctg. Tive uma experiência com o alcochoamento à máquina e simplesmente não me identifico com ele....parece que falta algo de mim naquele trabalho. Gosto de mexer nos tecidos e acariciar cada ponto que lhes dou, dá mais de mim a cada peça. A loja de tecidos é linda. Beijos

vera disse...

Viseu tem lojas bonitas dessas, lembro-me de uma onde comprei uns berloques-bolinha para pôr nas cortinas, era uma loja enorme, numa espécie de cave onde havia só galões e coisas de outros tempos, conheces ?

Virgínia disse...

O tecido é a base de tudo, e só consigo gostar do trabalho se me identificar com as cores.
E pois, à mão é muito mais bonito. Embora hajam máquinas muito melhores que a minha, capazes de um melhor trabalho! Quem souber de uma máquina boa, nova ou usada, por favor informem-me!

Um abraço e boa viagem, Diane.

mimiko disse...

Acho que ficou lindo e com cores lindas... Até ficava bem cá em casa!!! :) bjos

disse...

em viseu????
uau! tenho uma amiga em viseu a quem tenho de pedir favores!

♥ tm disse...

O quilt ficou lindo, lindo... estou já a imaginar a quantidade de outros trabalhos lindos que se seguirão...

:)

little things of mine disse...

Bem, já me desloquei a Viseu e visitei a Loja do Sr. Manuel.
Resultado: 2,50m do Kafee Fasset comprados.

Vera, fiquei curiosa com a loja de que falas? Consegues explicar melhor em que parte da cidade ficava? Diane, conheces?

little things of mine disse...

Bem, lá me desloquei eu a Viseu e saí da loja do Sr. Manuel com 2,5m do Kafee Fasett.
E o Sr. todo orgulhoso, até me mostrou este teu post num papel.

Vera, fiquei curiosa com a loja de que falas. Sabes explicar melhor em que zona da cidade fica?
Diane, conheces?