sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Palheiras





É uma imensa lage, um maciço granítico muito perto de casa onde outrora se fazia a malha, a debulha e secagem dos cereais.
Cultivava-se a aveia, o centeio, a cevada, o milho, o trigo e o linho.
As palheiras, um verdadeiro monumento vivo, permetiam a conservação dos produtos derivados como o feno, as palhas e folhelhos de milho.
Com o pó do milho enchiam-se as almofadas e todos anos eram descosidas para encher de novo como esta almofada que a Natália me mostrou de manhã.



Ao almoço, um esparregado de grelos de nabos, uma variante da receita já publicada aqui.
Um pequeno filme do Tiago Pereira, feito mais à norte e que sabe bem ver e rever.





Bom fim-de-semana!

5 comentários:

rita pinheiro disse...

Fantástico filme, sem dúvida!
Bom fim-de-semana :)

♥ tm disse...

Olá Diane! Que interessante esta tua descrição. Se não estou em erro, na minha zona o pó do milho a que te referes tem um nome diferente, qualquer coisa parecido com "munha".
:)

Teresa disse...

Hoje, debrucei-me sobre o seu blog, já ri, já chorei, já fiquei de boca aberta e sinceramente acho o seu blog absolutamente delicioso!
Bom fim-de-semana!

Rosa Pomar disse...

Que lindo o filme, não conhecia! E essa almofada, que nome dá a Natália às rodinhas de tecido? Bom fim-de-semana e saudades*

Virgínia disse...

Oh Diane!! Fizeste-me tão bem, como sempre! Eu nunca me lembraria de procurar estes filmes no youtube!
Lindo - só me apetece viajar!
Um abraço enorme :)