quarta-feira, 26 de maio de 2010

A encomenda





Gosto de me sentir livre na interpretação dos materiais que utilizo.
Receber uma encomenda e deixar-me criativa, é o que há de melhor.
As medidas foram impostas, a escolha das materias e a escolha do padrão foi minha.
Um trabalho que gostei particularmente de realizar, embora ainda não tenho a aprovação da pessoa que me encomendou o caminho de mesa.

11 comentários:

Rosa Pomar disse...

Está lindo! Mas em Português diz-se "caminho de mesa"? Pensava que era naperon, à francesa :)

Cláudia disse...

como gosto de ver estas imagens! o equilíbrio, a cor! e a criatividade...
cláudia

Ana V. disse...

Mas vai gostar de certeza está Lindo Diane.

maman xuxudidi disse...

Rosa, talvez tenhas razão. Não sou a pessoa mais indicada para tal vocabulario. Em francês, diz-se "Chemin de table".

Cris Chiosini disse...

Impossível não gostar deste caminho de mesa.
Ficou lindo !
Realmente deve ser muito bom poder trabalhar de acordo com a sua inspiração, não é ?
Adoro os seus trabalhos... e também sigo o blog da Maçã Riscada - adooooro essa loja ! rs
Beijos.

isabel disse...

Está magnífico! A escolha dos tecidos, com o flying geese a criar o zig zag é genial. Eu ía gostar de certeza.

joana soares disse...

Poder "dar largas" à criatividade é sem dúvida um grande estímulo! Como não podia deixar de ser o resultado é fantástico.
A fotografia, liiiinda!

Beijinho
Joana

Rosa Pomar disse...

Vou investigar e logo te aviso. "Caminho de mesa" nunca tinha ouvido, em minha casa diz-se simplesmente "paninho" ou naperon.

Vermelho morango disse...

Lindo! Os tecidos são maravilhosos e o desenho muito interessante. Parabéns!

meri disse...

Está lindo, mesmo!
Quem não gosta????

christine disse...

moi j'aime l'unité des couleurs et le contraste de ce doux chemin sur le bois et le pavé brut .
esthétique et affection BISOUS